Veja nossas notícias e saiba de todas as novidades.
Olá, visitante. Acesse sua conta ou cadastre-se.
Invenção de Paris, A - A cada passo uma descoberta

Invenção de Paris, A - A cada passo uma descoberta

Em Estoque
 
R$145,00
Modelo: Impresso
Edição: 1
Ano de publicação: 2017
Número de páginas: 448
ISBN: 9788574482132
Editora: ESTAÇÃO LIBERDADE
Sinopse Autor Comentários (0)
O que as esquinas, as muralhas e as calçadas de Paris contariam, se pudessem falar? E quanto aos ilustres e anônimos que viveram, sonharam e morreram nessas ruas, que tipo de cidade eles cantariam se suas vozes ainda ressoassem pelos séculos? Todas essas vozes, histórias, glórias e tragédias estão em A invenção de Paris – A cada passo uma descoberta, do historiador francês Eric Hazan. Com faro de contador de histórias e rigor de pesquisador, Hazan faz em seu livro uma biografia afetiva e “antioficial” de Paris, passo a passo, século a século, revivendo a história oculta (e, não raro, sangrenta) da capital francesa. O autor produz essa história com base em seu extenso conhecimento da cidade – onde mora desde que nasceu – e também recorrendo aos grandes literatos e artistas que passaram por suas ruas: do épico Victor Hugo ao flâneur poético Baudelaire, das telas de Manet e Degas aos lendários cliques de Brassaï, Atget e Doisneau. O livro se divide em três partes, sempre pontuadas pelas frases das figuras históricas convocadas por Hazan. Na primeira, “Antiga Paris e Nova Paris”, o autor faz uma anatomia dos bairros parisienses, gastando a sola do sapato e extraindo dos boulevards, ruas e becos as histórias escondidas pelo tempo e pelas sucessivas reconstruções da cidade. A segunda parte, “Paris vermelha”, explicita a vocação revolucionária da capital francesa. O relato aprofundado das barricadas, rebeliões e insurreições que marcaram os últimos séculos propõe uma leitura inédita de Paris, mostrando os conflitos internos como um dos pontos definidores de sua história. A terceira parte é dedicada às artes, à Paris dos flanadores e do começo da fotografia, uma ode a uma cidade que atualmente sofre um processo de museificação e enfraquecimento, como Hazan não deixa de pontuar, afirmando ainda que novas rupturas não deixarão de vir – tradition oblige. A ideia de “psicogeografia”, cunhada por Guy Debord, permeia o livro, bem como as Passagens e as Teses sobre o conceito de história, de Walter Benjamin. Hazan, que conhece todos os cantos e segredos de Paris, revira cada pedra da cidade para resgatar uma história soterrada, a da Paris das turbulências e da constante reinvenção, que, se depender dele, não será esquecida tão cedo.
Livros
Autor ERIC HAZAN

Fazer um comentário

Seu Nome:


Seu Comentário: Obs: Não há suporte para o uso de tags HTML.

Avaliação: Ruim            Bom

Digite o código da imagem:



Logotipos de meios de pagamento do PagSeguro
Desenvolvimento
Criação de sites RJ: Murillo Camargo & Doble
MauadX © 2012 - Todos os direitos reservados
Avaliação de Lojas e-bit