Beira de Rio, correnteza: ventura e danação de um salta-muros no tempo da ditadura

Beira de Rio, correnteza: ventura e danação de um salta-muros no tempo da ditadura

Beira de Rio, correnteza: ventura e danação de um salta-muros no tempo da ditadura

  • EditoraBOM TEXTO
  • Modelo: 4423888
  • Disponibilidade: Em estoque
  • R$ 40,48

    R$ 50,60
O autor retorna ao São Francisco, cenário de seu primeiro romance, para contar a história de Gero, um adolescente que lê livros estranhos, um fracote, que ainda sofre os efeitos de recente tragédia familiar, o sumiço do irmão Toninho no rio. Ao se envolver com Liana, vive as delícias do amor e os tormentos do ciúme. E, enquanto um comando especial do Exército vasculha a cidade e as redondezas na caça do guerrilheiro Carlos Lamarca, escondido em algum lugar por ali, Gero torna-se o principal ator nos acontecimentos da que pode ser chamada de “noite das rajadas”.
O autor trata com lirismo o rio e sua correnteza, uma onda contínua que carrega com ele. O título evidencia um simbólico embate entre a matéria – a estática “beira do rio” – e o tempo – a “correnteza” que passa inexoravelmente. Ao mesmo tempo, Carlos Barbosa gera outra dicotomia: recupera ficcionalmente um fato importante e trágico da nossa história recente, com a liberdade que o romance permite, e narra a história de amor de Gero e Liana.
O romance recebeu o Prêmio Hera 2011 da Fundação Pedro Calmon, Secretaria de Cultura do Estado da Bahia/Secult, como "Melhor livro de autor baiano de 2010.
Características
Ano de publicação 2010
Autor CARLOS BARBOSA
Biografia O autor retorna ao São Francisco, cenário de seu primeiro romance, para contar a história de Gero, um adolescente que lê livros estranhos, um fracote, que ainda sofre os efeitos de recente tragédia familiar, o sumiço do irmão Toninho no rio. Ao se envolver com Liana, vive as delícias do amor e os tormentos do ciúme. E, enquanto um comando especial do Exército vasculha a cidade e as redondezas na caça do guerrilheiro Carlos Lamarca, escondido em algum lugar por ali, Gero torna-se o principal ator nos acontecimentos da que pode ser chamada de “noite das rajadas”.
O autor trata com lirismo o rio e sua correnteza, uma onda contínua que carrega com ele. O título evidencia um simbólico embate entre a matéria – a estática “beira do rio” – e o tempo – a “correnteza” que passa inexoravelmente. Ao mesmo tempo, Carlos Barbosa gera outra dicotomia: recupera ficcionalmente um fato importante e trágico da nossa história recente, com a liberdade que o romance permite, e narra a história de amor de Gero e Liana.
O romance recebeu o Prêmio Hera 2011 da Fundação Pedro Calmon, Secretaria de Cultura do Estado da Bahia/Secult, como "Melhor livro de autor baiano de 2010.
Edição 1
Editora BOM TEXTO
ISBN 9788587723888
Páginas 208

Escreva um comentário

Você deve acessar ou cadastrar-se para comentar.