Feios, sujos e malvados sob medida: A utopia médica do biodeterminismo

Feios, sujos e malvados sob medida: A utopia médica do biodeterminismo

Feios, sujos e malvados sob medida: A utopia médica do biodeterminismo

  • EditoraALAMEDA
  • Modelo: 9V25996
  • Disponibilidade: Em estoque
  • R$ 63,64

    R$ 74,00
O determinismo biológico presente na medicina e na criminologia da primeira metade do século XX não é um acontecimento isolado no tempo. Em Feios, sujos e malvados sob medida a densidade histórica do biodeterminismo é investigada com rigor, analisando os problemas sociais dos indivíduos considerados “feios, sujos e malvados”. Dessa maneira, o historiador Luis Ferla realiza uma refinada análise sobre a patologização dos comportamentos antissociais, ou “desviados”, e sobre as articulações entre ciência e “defesa social”.
A rebeldia, o silêncio, as resistências jurídicas e a resignação podem ser armas poderosas contra a transformação do corpo humano em puro objeto de desvendamento científico, como afirmavam as teorias racistas da virada do século XX. Assim, o competente historiador compreende que a história do biodeterminismo é mais complexa e menos evidente do que um jogo de contrários.
Feios, sujos e malvados sob medida interroga com maestria o mosaico de ações e teorias, de utopias sociais e de ambiguidades característico das diversas intervenções científicas sobre o corpo humano na capital paulista entre 1920 e 1945. Uma história difícil de ser explicada, pois seu desenho caminha do trabalho ao crime e vice-versa, envolvendo os esforços por identificar e tratar desde o homossexual até o doente mental, passando por epiléticos e portadores do que já se nomeou como sendo “loucura moral”. Um trabalho sobre as medidas criadas institucionalmente para regrar o corpo e a alma cuja leitura é essencial para pesquisadores de diversas áreas do conhecimento.
O livro representa uma importante contribuição à história social e cultural da São Paulo do entre-guerras, mas também à história da ciência e da medicina. Luis Ferla responde com maestria ao desafio colocado, e o resultado é uma obra instigante e consistente.
Características
Ano de publicação 2009
Autor LUIS FERLA
Biografia O determinismo biológico presente na medicina e na criminologia da primeira metade do século XX não é um acontecimento isolado no tempo. Em Feios, sujos e malvados sob medida a densidade histórica do biodeterminismo é investigada com rigor, analisando os problemas sociais dos indivíduos considerados “feios, sujos e malvados”. Dessa maneira, o historiador Luis Ferla realiza uma refinada análise sobre a patologização dos comportamentos antissociais, ou “desviados”, e sobre as articulações entre ciência e “defesa social”.
A rebeldia, o silêncio, as resistências jurídicas e a resignação podem ser armas poderosas contra a transformação do corpo humano em puro objeto de desvendamento científico, como afirmavam as teorias racistas da virada do século XX. Assim, o competente historiador compreende que a história do biodeterminismo é mais complexa e menos evidente do que um jogo de contrários.
Feios, sujos e malvados sob medida interroga com maestria o mosaico de ações e teorias, de utopias sociais e de ambiguidades característico das diversas intervenções científicas sobre o corpo humano na capital paulista entre 1920 e 1945. Uma história difícil de ser explicada, pois seu desenho caminha do trabalho ao crime e vice-versa, envolvendo os esforços por identificar e tratar desde o homossexual até o doente mental, passando por epiléticos e portadores do que já se nomeou como sendo “loucura moral”. Um trabalho sobre as medidas criadas institucionalmente para regrar o corpo e a alma cuja leitura é essencial para pesquisadores de diversas áreas do conhecimento.
O livro representa uma importante contribuição à história social e cultural da São Paulo do entre-guerras, mas também à história da ciência e da medicina. Luis Ferla responde com maestria ao desafio colocado, e o resultado é uma obra instigante e consistente.
Edição 1
Editora ALAMEDA
ISBN 9788598325996
Páginas 432

Escreva um comentário

Você deve acessar ou cadastrar-se para comentar.