Experiência Rex,A: “Éramos o time do Rei”

Experiência Rex,A: “Éramos o time do Rei”

Experiência Rex,A: “Éramos o time do Rei”

  • EditoraALAMEDA
  • Modelo: 9V25873
  • Disponibilidade: Em estoque
  • R$ 36,75

    R$ 49,00
O Grupo REX, formado por Wesley Duke Lee, Nelson Leirner e Geraldo de Barros, Carlos Fajardo, José Resende e Frederico Nasser, expressa sua inconformidade com o precário mercado de arte brasileiro através de manifestos polêmicos e bem humorados, como o jornal-boletim “Rex-Time”, cuja primeira edição possuia a seguinte manchete: “AVISO: É A GUERRA”. O livro de Fernanda Lopes analisa a formação e atuação do Grupo Rex no contexto da arte brasileira na segunda metade dos anos 1960, em apenas um ano exigiram um espaço produtivo para a arte contemporânea, inconformados com a ausência de espaço para opiniões transgressivas e inovadoras no sistema de arte. A autora enfatiza a importância do grupo para seu tempo e a singularidade de sua contribuição e influência para os artistas que vieram depois, insistindo que o meio de arte brasileiro tem muito o que aprender.
A galeria do grupo, a “Rex Gallery & Sons”, constituiu um centro vivo de informações sobre arte contemporânea, um verdadeiro “museu experimental”. Os Rex foram estimuladores culturais consistentes, que mostraram ser possível integrar uma pesquisa criadora à atuação educativa. As passagens dessa saga memorável são cuidadosamente descritas e analisadas pela autora, que não se rende ao fascínio por esse capítulo palpitante da década da cultura brasileira e ocidental, conseguindo demonstrar com segurança e verve a singularidade da contribuição do Grupo em seu contexto sócio-cultural. Dessa maneira, A experiência Rex é um dos ensaios mais densos sobre um dos mais importantes grupos de arte contemporânea brasileira.
Características
Ano de publicação 2009
Autor FERNANDA LOPES
Biografia O Grupo REX, formado por Wesley Duke Lee, Nelson Leirner e Geraldo de Barros, Carlos Fajardo, José Resende e Frederico Nasser, expressa sua inconformidade com o precário mercado de arte brasileiro através de manifestos polêmicos e bem humorados, como o jornal-boletim “Rex-Time”, cuja primeira edição possuia a seguinte manchete: “AVISO: É A GUERRA”. O livro de Fernanda Lopes analisa a formação e atuação do Grupo Rex no contexto da arte brasileira na segunda metade dos anos 1960, em apenas um ano exigiram um espaço produtivo para a arte contemporânea, inconformados com a ausência de espaço para opiniões transgressivas e inovadoras no sistema de arte. A autora enfatiza a importância do grupo para seu tempo e a singularidade de sua contribuição e influência para os artistas que vieram depois, insistindo que o meio de arte brasileiro tem muito o que aprender.
A galeria do grupo, a “Rex Gallery & Sons”, constituiu um centro vivo de informações sobre arte contemporânea, um verdadeiro “museu experimental”. Os Rex foram estimuladores culturais consistentes, que mostraram ser possível integrar uma pesquisa criadora à atuação educativa. As passagens dessa saga memorável são cuidadosamente descritas e analisadas pela autora, que não se rende ao fascínio por esse capítulo palpitante da década da cultura brasileira e ocidental, conseguindo demonstrar com segurança e verve a singularidade da contribuição do Grupo em seu contexto sócio-cultural. Dessa maneira, A experiência Rex é um dos ensaios mais densos sobre um dos mais importantes grupos de arte contemporânea brasileira.
Edição 1
Editora ALAMEDA
ISBN 9788598325873
Páginas 272

Escreva um comentário

Você deve acessar ou cadastrar-se para comentar.