Finança Capitalista,A

Finança Capitalista,A

Finança Capitalista,A

  • EditoraALAMEDA
  • Modelo: 9V90098
  • Disponibilidade: Em estoque
  • R$ 52,50

    R$ 70,00
A financeirização possui uma dupla função: ela instaura uma concorrência exacerbada, necessária para manter a pressão para a elevação da exploração; e estabelece um modo de repartição adequado às novas condições de reprodução do capital. A finança capitalista, livro seminal escrito por especialistas franceses que estudam o capital ao lado de François Chesnais tem como objetivo analisar e compreender os processos desse sistema.
A imponente fachada da Bolsa, templo de uma divindade antiga de vários séculos, domina aqui a praça pública onde se resolvem os negócios do mundo; em frente fica o Parlamento; a Catedral fica exatamente lá, à direita. Nas avenidas vizinhas, se ligam as fachadas dos bancos e das sedes das grandes empresas. Os mármores brilhantes refletem a luz do dia com insolência; as letras de ouro destacam as marcas e as placas brilham sobre suas portas. Perto, as grandes torres de vidro dos escritórios. Mas, quando nós nos caminhamos em direção aos subúrbios, gradualmente, às vezes até subitamente, tudo muda. A opulência pertence a uma minoria privilegiada e a cada novo passo se confirma o diagnóstico.
Mas onde estávamos exatamente? Sem dúvida em um desses centros do centro, no qual a “finança capitalista” dos países avançados redesenha o mundo na medida de suas próprias ambições e interesses. De bairro em bairro o um mundo familiar do final do século XX e do início do século XXI carrega essa estranha entidade.
Este livro remete o leitor à contradição essencial para o capitalismo contemporâneo, que consiste na recusa em satisfazer uma parte crescente das necessidades sociais, uma vez que essas se distanciam, gradativamente, de seus próprios critérios de escolha e de eficácia.
Características
Ano de publicação 2010
Autor SUZANNE; FRANÇOIS; GÉRARD; DOMINIQUE; MICHEL
Biografia A financeirização possui uma dupla função: ela instaura uma concorrência exacerbada, necessária para manter a pressão para a elevação da exploração; e estabelece um modo de repartição adequado às novas condições de reprodução do capital. A finança capitalista, livro seminal escrito por especialistas franceses que estudam o capital ao lado de François Chesnais tem como objetivo analisar e compreender os processos desse sistema.
A imponente fachada da Bolsa, templo de uma divindade antiga de vários séculos, domina aqui a praça pública onde se resolvem os negócios do mundo; em frente fica o Parlamento; a Catedral fica exatamente lá, à direita. Nas avenidas vizinhas, se ligam as fachadas dos bancos e das sedes das grandes empresas. Os mármores brilhantes refletem a luz do dia com insolência; as letras de ouro destacam as marcas e as placas brilham sobre suas portas. Perto, as grandes torres de vidro dos escritórios. Mas, quando nós nos caminhamos em direção aos subúrbios, gradualmente, às vezes até subitamente, tudo muda. A opulência pertence a uma minoria privilegiada e a cada novo passo se confirma o diagnóstico.
Mas onde estávamos exatamente? Sem dúvida em um desses centros do centro, no qual a “finança capitalista” dos países avançados redesenha o mundo na medida de suas próprias ambições e interesses. De bairro em bairro o um mundo familiar do final do século XX e do início do século XXI carrega essa estranha entidade.
Este livro remete o leitor à contradição essencial para o capitalismo contemporâneo, que consiste na recusa em satisfazer uma parte crescente das necessidades sociais, uma vez que essas se distanciam, gradativamente, de seus próprios critérios de escolha e de eficácia.
Edição 1
Editora ALAMEDA
ISBN 9788579390098
Páginas 348

Escreva um comentário

Você deve acessar ou cadastrar-se para comentar.