Universalismo e diversidade: contradições da modernidade mundo

Universalismo e diversidade: contradições da modernidade mundo

Universalismo e diversidade: contradições da modernidade mundo

  • EditoraBOITEMPO
  • Modelo: 6793943
  • Disponibilidade: Em estoque
  • R$ 41,60

    R$ 52,00
Em seu novo livro, o sociólogo Renato Ortiz expõe o mal-estar do universalismo ao refletir sobre a percepção do pluralismo, da diversidade e do relativismo cultural no contemporâneo. Para Ortiz, a diversidade, isto é, a forma como a pensamos e a discutimos hoje, pode ser considerada um emblema da globalização, que nos remete aos impasses e às incertezas do presente.

Na busca por respostas consensuais em relação aos problemas comuns – as guerras, a dominação tecnológica, a divisão das sociedades em civilizadas e bárbaras, o racismo –, nossas certezas em relação ao universalismo dos filósofos iluministas já não nos servem de guia. “As qualidades positivas, antes atribuídas ao universal, deslocam-se para o ‘pluralismo’ da diversidade”, afirma o sociólogo.

Nesse sentido, o antagonismo entre o universal e o particular; o comum e as diferenças; vai muito além do meramente conceitual: caracteriza o “espírito de nosso tempo”. Ortiz se propõe a discutir em que sentido essas antinomias “falam” de nossa condição e a compreender o uso que a sociedade faz delas, como por exemplo, a forma como as empresas absorvem a questão da diversidade dentro do contexto de mercado, tema sobre o qual o sociólogo se debruça em um dos cinco ensaios que compõem o livro.

Para fechar, no anexo "Imagens do Brasil", perguntando-se acerca do sentido do debate a respeito da identidade nacional no mundo contemporâneo, o autor convida a uma reflexão muito original sobre as construções simbólicas da brasilidade.
Características
Ano de publicação 2015
Autor RENATO ORTIZ
Biografia Em seu novo livro, o sociólogo Renato Ortiz expõe o mal-estar do universalismo ao refletir sobre a percepção do pluralismo, da diversidade e do relativismo cultural no contemporâneo. Para Ortiz, a diversidade, isto é, a forma como a pensamos e a discutimos hoje, pode ser considerada um emblema da globalização, que nos remete aos impasses e às incertezas do presente.

Na busca por respostas consensuais em relação aos problemas comuns – as guerras, a dominação tecnológica, a divisão das sociedades em civilizadas e bárbaras, o racismo –, nossas certezas em relação ao universalismo dos filósofos iluministas já não nos servem de guia. “As qualidades positivas, antes atribuídas ao universal, deslocam-se para o ‘pluralismo’ da diversidade”, afirma o sociólogo.

Nesse sentido, o antagonismo entre o universal e o particular; o comum e as diferenças; vai muito além do meramente conceitual: caracteriza o “espírito de nosso tempo”. Ortiz se propõe a discutir em que sentido essas antinomias “falam” de nossa condição e a compreender o uso que a sociedade faz delas, como por exemplo, a forma como as empresas absorvem a questão da diversidade dentro do contexto de mercado, tema sobre o qual o sociólogo se debruça em um dos cinco ensaios que compõem o livro.

Para fechar, no anexo "Imagens do Brasil", perguntando-se acerca do sentido do debate a respeito da identidade nacional no mundo contemporâneo, o autor convida a uma reflexão muito original sobre as construções simbólicas da brasilidade.
Edição 1
Editora BOITEMPO
ISBN 9788575593943
Páginas 176

Escreva um comentário

Você deve acessar ou cadastrar-se para comentar.