Drama, ritual e performance: a antropologia de Victor Turner

Drama, ritual e performance: a antropologia de Victor Turner

Drama, ritual e performance: a antropologia de Victor Turner

  • EditoraMAUAD X
  • Modelo: 01B00446
  • Disponibilidade: Em estoque
  • R$ 36,55

    R$ 43,00
Drama, ritual e performance são conceitos-chave na obra do antropólogo escocês Victor Witter Turner, uma das principais referências da antropologia contemporânea. Centrais nos estudos da cultura, do simbolismo e dos rituais que conferem graça e sentido à vida social, esses conceitos se entrelaçam, de modo orgânico no instigante percurso intelectual de Victor Turner e são aqui desvendados em linguagem direta e clara por Maria Laura Cavalcanti. Guiando o leitor por entre as formulações desses três conceitos que iluminam a densa pesquisa de campo realizada por Turner nos anos 1950 entre os Ndembus, na antiga Rodésia do Norte, atual Zâmbia, Maria Laura ainda se aprofunda nas inovadoras articulações entre antropologia e teatro por ele exploradas na Nova York dos anos 1980. E mostra que, em sua interação, drama, ritual e performance, respondem ao mesmo ímpeto de elucidação de um problema antropológico crucial: como compreender a natureza simbólica das experiências sociais. Com suas potentes análises, Victor Turner forjou, como nos revela a autora, uma antropologia que abriu espaço para a expressão da subjetividade em meio à natureza coletiva dos processos sociais; que integrou desequilíbrios, tensão e conflito ao sentimento de pertencimento grupal; que associou a estrutura à antiestrutura, ao enfatizar a liminaridade, o umbral, as passagens entre distintos papéis e posições sociais; que iluminou a performance como o momento ímpar em que o tempo é experimentado pelo sujeito como puro fluxo.
Características
Ano de publicação 2020
Autor Maria Laura Viveiros de Castro Cavalcanti
Biografia Drama, ritual e performance são conceitos-chave na obra do antropólogo escocês Victor Witter Turner, uma das principais referências da antropologia contemporânea. Centrais nos estudos da cultura, do simbolismo e dos rituais que conferem graça e sentido à vida social, esses conceitos se entrelaçam, de modo orgânico no instigante percurso intelectual de Victor Turner e são aqui desvendados em linguagem direta e clara por Maria Laura Cavalcanti. Guiando o leitor por entre as formulações desses três conceitos que iluminam a densa pesquisa de campo realizada por Turner nos anos 1950 entre os Ndembus, na antiga Rodésia do Norte, atual Zâmbia, Maria Laura ainda se aprofunda nas inovadoras articulações entre antropologia e teatro por ele exploradas na Nova York dos anos 1980. E mostra que, em sua interação, drama, ritual e performance, respondem ao mesmo ímpeto de elucidação de um problema antropológico crucial: como compreender a natureza simbólica das experiências sociais. Com suas potentes análises, Victor Turner forjou, como nos revela a autora, uma antropologia que abriu espaço para a expressão da subjetividade em meio à natureza coletiva dos processos sociais; que integrou desequilíbrios, tensão e conflito ao sentimento de pertencimento grupal; que associou a estrutura à antiestrutura, ao enfatizar a liminaridade, o umbral, as passagens entre distintos papéis e posições sociais; que iluminou a performance como o momento ímpar em que o tempo é experimentado pelo sujeito como puro fluxo.
Edição 1
Editora MAUAD X
ISBN 9788530400446
Páginas 148

Escreva um comentário

Você deve acessar ou cadastrar-se para comentar.