Veja nossas notícias e saiba de todas as novidades.
Olá, visitante. Acesse sua conta ou cadastre-se.
Estranha Economia

Estranha Economia

Em Estoque
 
R$40,00 R$36,00
Modelo: Impresso
Edição: 1
Ano de publicação: 2013
Número de páginas: 180
ISBN: 9788561022792
Editora: APICURI
Sinopse Autor Comentários (0)
O livro Estranha economia traça uma panorâmica da obra de Felipe Barbosa, com imagens de seus trabalhos no ateliê e em espaços expositivos. Com foco no processo criativo do artista, apresenta textos críticos de Alvaro Seixas, Luciano Vinhosa e Sheila Cabo Geraldo. Estranha economia é também o título da série de trabalhos em que o artista usa objetos do cotidiano recobertos de picotes de papel-moeda e os agrupa em instalações que revelam ambientes familiares porém cheios de estranheza. Outras séries de trabalhos do artista mostram bolas de futebol desconstruídas em seus gomos e remontadas em planos ou outros formatos, palitos de fósforo agrupados para formar esferas orgânicas, casas de cachorro montadas em ?condomínios?, martelos totalmente recobertos por pregos. Para Alvaro Seixas, ?esses objetos, e muitos outros, elaborados pelo artista Felipe Barbosa, podem ser vistos como crias maravilhosamente degeneradas da modernidade?. Segundo Sheila Cabo Geraldo, ?quem visita o ateliê de Felipe Barbosa reconhece sua avidez por objetos que se acumulam e se transformam?. Estes objetos e sua transformação, na obra do artista, estão, a meu ver, a serviço de um desejo de catalogação, de ordenação, como uma pulsão aristotélica. Não só nas fotos dos trabalhos em exposição estes se apresentam ordenados, arrumados, catalogados; também nas fotos de ateliê está busca de ordem impera: ?Um lugar para cada coisa e cada coisa em seu lugar.? Matériasprimas: palitos de fósforo, bolas de futebol, casas de cachorro, lápis, livros antigos, esquadros de acrílico, bolas de sinuca, bombas, pilhas, guarda-chuvas... Ferramentas: martelos e pregos (também matérias-primas), alicates, chaves de fenda, cavaletes, mesas de trabalho, mapotecas, colas, tintas em spray... Todos empenhados em um trabalho incessante demconstrução de uma nova ordem. Finalmente, como aponta Luciano Vinhosa, ?apropriando-se de objetos industrializados adquiridos no comércio varejista ou simplesmente encontrados nas ruas do mundo, o artista os reúne em novas formas para, em seguida, os recontextualizar na arte, ressignificando seus usos e funções sociais?. Os interiores de uma casa são transformados pela ?pele? de picotes de papel-moeda que cobre todos os objetos. Em um canto, uma ?bicicleta?que, com a nova ?pele?, perdeu sua função de meio de locomoção, transformou-se em um objetode arte e, no espaço expositivo, se apresenta ao espectador como algo que ?sempre foi assim?, como um objeto de arte saído diretamente da imaginação do artista ? afinal são as convenções do ?cubo branco?. Mas ao mostrar a imagem da simples e comum bicicleta meio recoberta pelos picotes, em pleno processo de construção, o livro abre ao leitor a possibilidade de ampliar sua reflexão sobre o fazer artístico. (Jozias Benedicto)
Livros
Autor FELIPE BARBOSA

Fazer um comentário

Seu Nome:


Seu Comentário: Obs: Não há suporte para o uso de tags HTML.

Avaliação: Ruim            Bom

Digite o código da imagem:



Logotipos de meios de pagamento do PagSeguro
Desenvolvimento
Criação de sites RJ: Murillo Camargo & Doble
MauadX © 2012 - Todos os direitos reservados
Avaliação de Lojas e-bit