Italianidade em Stendhal,a

Italianidade em Stendhal,a

Italianidade em Stendhal,a

  • EditoraUNESP
  • Modelo: 74-0436
  • Disponibilidade: Em estoque
  • R$ 55,80

    R$ 62,00
A autora estuda a obra do escritor francês Stendhal (1783-1842), convidando o leitor a
uma viagem pela Itália, guiada pelos romances Crônicas italianas e A cartuxa de Parma,
que vêem aquele país como um universo de tristezas e felicidades extremas. Stendhal
chamava-se na verdade Marie-Henri Beyle. Sua admiração sem limites pelo autor de
história da arte da Antigüidade, Winckelmann, fez que mudasse seu nome para elogiar a
cidade natal do erudito alemão. A paixão de Stendhal pela Itália, que Leila de Aguiar
apresenta com igual dose de amor e rigor neste livro, descende, portanto, da mesma
linha que alimentou Goethe, outro viajante pela Itália e admirador de sua natureza.
Para Stendhal o "eu puro, livre, autêntico" e, sobretudo, "sensível", que ele desenhou
na alma de seus personagens italia-nos, serviu antes de mais nada para - na trilha de
Rousseau - criar um contraponto aos tons cinza do indivíduo da "civilização do Norte".
Neste livro acompanhamos nas paisagens anímicas e naturais das Crônicas italianas e de
A cartuxa de Parma a encenação desse indivíduo que se afirma a partir de suas paixões.
Stendhal transformou esse drama do indivíduo moderno na pura essência da literatura.
(Marcio Seligmann-Silva)

Características
Autor LEILA DE AGUIAR COSTA
Biografia A autora estuda a obra do escritor francês Stendhal (1783-1842), convidando o leitor a
uma viagem pela Itália, guiada pelos romances Crônicas italianas e A cartuxa de Parma,
que vêem aquele país como um universo de tristezas e felicidades extremas. Stendhal
chamava-se na verdade Marie-Henri Beyle. Sua admiração sem limites pelo autor de
história da arte da Antigüidade, Winckelmann, fez que mudasse seu nome para elogiar a
cidade natal do erudito alemão. A paixão de Stendhal pela Itália, que Leila de Aguiar
apresenta com igual dose de amor e rigor neste livro, descende, portanto, da mesma
linha que alimentou Goethe, outro viajante pela Itália e admirador de sua natureza.
Para Stendhal o "eu puro, livre, autêntico" e, sobretudo, "sensível", que ele desenhou
na alma de seus personagens italia-nos, serviu antes de mais nada para - na trilha de
Rousseau - criar um contraponto aos tons cinza do indivíduo da "civilização do Norte".
Neste livro acompanhamos nas paisagens anímicas e naturais das Crônicas italianas e de
A cartuxa de Parma a encenação desse indivíduo que se afirma a partir de suas paixões.
Stendhal transformou esse drama do indivíduo moderno na pura essência da literatura.
(Marcio Seligmann-Silva)

Editora UNESP
ISBN 9788571394520
Páginas 192

Escreva um comentário

Você deve acessar ou cadastrar-se para comentar.