Elefante negro, O: Raça e pensamento social no Brasil

Elefante negro, O: Raça e pensamento social no Brasil

Elefante negro, O: Raça e pensamento social no Brasil

  • EditoraALAMEDA
  • Modelo: 9V81473
  • Disponibilidade: Em estoque
  • R$ 45,00

    R$ 60,00
Raramente as condições sociais para a existência e análise do pensamento de um intelectual negro brasileiro são favoráveis. Dificuldades pela luta por sobrevivência e os combates contra as discriminações de socialização numa sociedade racista; ou, um tema recorrente, o drama de ser dois, de pertencer a dois mundos, a dupla consciência, estar dentro de forma estranhada, desafiam as fontes lacunares. Ecoam aqui pensadores negros como Virgínia Bicudo, Alberto Guerreiro Ramos, W.E.B. Du Bois, Frantz Fanon, Stuart Hall, Patricia Hill Collins, Paul Gilroy, Bell Hooks.

Há mudanças no estado da arte e da vida, mas muito ainda por ser feito. Parte desse trabalho, no âmbito da pesquisa sobre intelectuais negros no Brasil, encontra-se neste livro instigante de Rafael Trapp, sobre o sociólogo Eduardo de Oliveira e Oliveira. Uma vida admirável e errática, que reverbera numa obra influente, ao mesmo tempo que inacabada e desconhecida atualmente. Trapp embrenha-se pelos caminhos de um intelectual negro cujas citações em textos raramente ultrapassam uma linha, uma única menção e sobre quem rondam muitos mistérios, de seu princípio ao seu fim.

Do trabalho do historiador emergem a figura humana, a vida familiar, o universo do teatro, as experiências na USP, os coletivos negros em São Paulo, os projetos na UFSCAR, as diversas viagens aos Estados Unidos, as apostas e desilusões nos muitos mundos habitados por Eduardo de Oliveira e Oliveira. Ainda mais importante: explicita-se seu pensamento inconformado. Um exemplo de vida e obra; uma pesquisa exemplar.
Características
Ano de publicação 2020
Autor Rafael Petry Trapp
Biografia Raramente as condições sociais para a existência e análise do pensamento de um intelectual negro brasileiro são favoráveis. Dificuldades pela luta por sobrevivência e os combates contra as discriminações de socialização numa sociedade racista; ou, um tema recorrente, o drama de ser dois, de pertencer a dois mundos, a dupla consciência, estar dentro de forma estranhada, desafiam as fontes lacunares. Ecoam aqui pensadores negros como Virgínia Bicudo, Alberto Guerreiro Ramos, W.E.B. Du Bois, Frantz Fanon, Stuart Hall, Patricia Hill Collins, Paul Gilroy, Bell Hooks.

Há mudanças no estado da arte e da vida, mas muito ainda por ser feito. Parte desse trabalho, no âmbito da pesquisa sobre intelectuais negros no Brasil, encontra-se neste livro instigante de Rafael Trapp, sobre o sociólogo Eduardo de Oliveira e Oliveira. Uma vida admirável e errática, que reverbera numa obra influente, ao mesmo tempo que inacabada e desconhecida atualmente. Trapp embrenha-se pelos caminhos de um intelectual negro cujas citações em textos raramente ultrapassam uma linha, uma única menção e sobre quem rondam muitos mistérios, de seu princípio ao seu fim.

Do trabalho do historiador emergem a figura humana, a vida familiar, o universo do teatro, as experiências na USP, os coletivos negros em São Paulo, os projetos na UFSCAR, as diversas viagens aos Estados Unidos, as apostas e desilusões nos muitos mundos habitados por Eduardo de Oliveira e Oliveira. Ainda mais importante: explicita-se seu pensamento inconformado. Um exemplo de vida e obra; uma pesquisa exemplar.
Edição 1
Editora ALAMEDA
ISBN 9786586081473
Páginas 336

Escreva um comentário

Você deve acessar ou cadastrar-se para comentar.