Vidas Fabris: trabalho e conflito social no complexo coureiro-calçadista de Franca-SP 1950-1980

Vidas Fabris: trabalho e conflito social no complexo coureiro-calçadista de Franca-SP 1950-1980

Vidas Fabris: trabalho e conflito social no complexo coureiro-calçadista de Franca-SP 1950-1980

  • EditoraALAMEDA
  • Modelo: 9V93679
  • Disponibilidade: Em estoque
  • R$ 67,15

    R$ 79,00
No interior de São Paulo, uma área rural urbanizou-se, destacou-se no cenário econômico nacional e abriu as portas do estrangeiro para os seus produtos. Era o complexo coureiro-calçadista de Franca. Na segunda metade do século XX, os planos do nacional-desenvolvimentismo, de substituição das importações – mediante industrialização fabril –, encontrou bons sapatos para usar.

Nos 40 anos cobertos pela sistemática e minuciosa investigação de Vinícius de Rezende, os trabalhadores e as trabalhadoras também protagonizaram lutas que impulsionaram a marcha adiante do movimento social, perante um adversário tão poderoso quanto fisicamente próximo e vigilante; até mesmo íntimo.

Com invejáveis energia e argúcia, Vidas fabris analisa não só relações entre capital e trabalho, de equilíbrio e convivência, mas também de tensão e diferenças. Ao contrário do que se pode pensar, operários e operárias não se reduziam a sua força de trabalho, a uma quantidade de energia a ser vendida e comprada. Não eram número. Também não estavam alienados e à deriva, como dominados ou consumidores. Não eram um grupo social que vivia para o desfrute dos outros.

Este livro ilumina o delicado e colorido processo no qual homens e mulheres viveram grande parte de suas vidas dento de fábricas, recinto de sólidas – ou capilares – raízes estendidas até o bairro, o cotidiano, a família operária. Olhando de cima, são seres brutos e ignorantes submetidos à pobreza e exploração. O autor, contudo, foi ao seu encontro no chão de fábrica, respirou a cultura operária e formulou análise de excepcional qualidade.

A História Social dá novo e notável passo adiante. Vem bem na hora e produz satisfação em quem o lê.
Características
Autor VINÍCIUS DE REZENDE
Biografia No interior de São Paulo, uma área rural urbanizou-se, destacou-se no cenário econômico nacional e abriu as portas do estrangeiro para os seus produtos. Era o complexo coureiro-calçadista de Franca. Na segunda metade do século XX, os planos do nacional-desenvolvimentismo, de substituição das importações – mediante industrialização fabril –, encontrou bons sapatos para usar.

Nos 40 anos cobertos pela sistemática e minuciosa investigação de Vinícius de Rezende, os trabalhadores e as trabalhadoras também protagonizaram lutas que impulsionaram a marcha adiante do movimento social, perante um adversário tão poderoso quanto fisicamente próximo e vigilante; até mesmo íntimo.

Com invejáveis energia e argúcia, Vidas fabris analisa não só relações entre capital e trabalho, de equilíbrio e convivência, mas também de tensão e diferenças. Ao contrário do que se pode pensar, operários e operárias não se reduziam a sua força de trabalho, a uma quantidade de energia a ser vendida e comprada. Não eram número. Também não estavam alienados e à deriva, como dominados ou consumidores. Não eram um grupo social que vivia para o desfrute dos outros.

Este livro ilumina o delicado e colorido processo no qual homens e mulheres viveram grande parte de suas vidas dento de fábricas, recinto de sólidas – ou capilares – raízes estendidas até o bairro, o cotidiano, a família operária. Olhando de cima, são seres brutos e ignorantes submetidos à pobreza e exploração. O autor, contudo, foi ao seu encontro no chão de fábrica, respirou a cultura operária e formulou análise de excepcional qualidade.

A História Social dá novo e notável passo adiante. Vem bem na hora e produz satisfação em quem o lê.
Editora ALAMEDA
ISBN 9788579393679
Páginas 534

Escreva um comentário

Você deve acessar ou cadastrar-se para comentar.