ACUSADOS & ACUSADORES

ACUSADOS & ACUSADORES

ACUSADOS & ACUSADORES

  • EditoraEDITORA REVAN
  • Modelo: RV10449
  • Disponibilidade: Em estoque
  • R$ 41,36

    R$ 44,00
"
Alguém algum dia te acusou de alguma coisa ou você mesmo se acusou? O que significa ser acusado de alguma coisa? Quem acusa o que? Como acusa? Por que acusa? Ser incriminado é ser ofendido? Você pode vir a ser incriminado algum dia ou isso só acontece com criminosos e bandidos? Essa e outras perguntas demarcam uma área de estudos para a qual este livro trás uma importante contribuição.


Dez estudos inéditos sobre os processos sociais, através dos quais comportamentos e indivíduos interagem sob o signo da acusação e da incriminação. O objetivo é levar o leitor a compreender como diferentes situações sociais de conflito podem ser socialmente definidas como resultantes ou produtoras de processos de acusação e incriminação. Nesse sentido, entre o simples ato de “dar uma desculpa” e as mudanças legais que agravam as penas no Código Penal, revela-se toda uma variedade de situações, eventos e ações que se cumprem sob a disputa de significados morais e interesses, num complexo conjunto de conflitos.

A obra ultrapassa os enquadramentos convencionais de estudos acadêmicos sobre controle social na medida em que se encontra inevitavelmente impregnada do tema das violências cotidianas de nossos dias. Os desafios analíticos, postos pela hegemonia do discurso sobre a violência urbana na mídia e na representação social, redirecionaram o foco da maioria dos trabalhos aqui reunidos. O diálogo desloca-se quase sempre do campo das ciências sociais para o campo em que se constrói o problema público da violência e da segurança dos cidadãos.

Os trabalhos encontrados nesta coletânea lidam com questões como essas, no Brasil ou na Argentina, na imprensa ou nos asilos da velhice, entre grafiteiros, jurados do Tribunal do Júri e policiais que tentam reformar a polícia. Rótulos, etiquetas, estigmas, sujeições – são variados os meios através dos quais se agravam as acusações e instituem-se novos e mais complexos conflitos, com mais graves e perigosos acusados.

Com exceção do ensaio do organizador, Michel Misse, todos os trabalhos aqui apresentados resultaram de pesquisas realizadas no Programa de Pós-Graduação em Sociologia e Antropologia da UFRJ, no âmbito do Núcleo de Estudos da Cidadania, Conflito e Violência Urbana (NECVU).

TEXTOS:

* Sobre a construção social do crime no Brasil: Esboço de uma interpretação, Michel Misse

* Uma definição sociológica do “dar uma desculpa”: Do senso comum a uma abordagem pragmática, Alexandre Werneck

* O desamparo da velhice em meio às “classes perigosas”, Carlos Eugênio Soares de Lemos

* Descrevendo e analisando o graffiti e outras modalidades de intervenção urbana: Caminhos e destinos da street art brasileira, David da Costa Aguiar de Souza

* “Para que a vida siga adiante”: Sobre impunidade, vingança e expiação da dor nos discursos jornalísticos, Bruno de Vasconcelos Cardoso

* Imprensa, protestos e violência: Uma análise de discursos, Natália Braga de Oliveira

* “Quem domina a regra do jogo”: Sobre a reforma da polícia e os registros policiais, Vivian Ferreira Paes

* As provas segundo as versões. Acusação pública ao jovem Mérico por violação à lei Argentina de entorpecentes, Brígida Renoldi

* Incriminando e sujeitando no Tribunal do Júri, Ângela Moreira-Leite

* Recrudescimento penal no Brasil: Simbolismo e punitivismo, Nalayne Mendonça Pinto

SOBRE O ORGANIZADOR:

Mestre e doutor em sociologia pelo IUPERJ e professor do PPGSA-IFCS-UFRJ.
"
Características
Autor MICHEL MISSE -ORGANIZADOR
Biografia "
Alguém algum dia te acusou de alguma coisa ou você mesmo se acusou? O que significa ser acusado de alguma coisa? Quem acusa o que? Como acusa? Por que acusa? Ser incriminado é ser ofendido? Você pode vir a ser incriminado algum dia ou isso só acontece com criminosos e bandidos? Essa e outras perguntas demarcam uma área de estudos para a qual este livro trás uma importante contribuição.


Dez estudos inéditos sobre os processos sociais, através dos quais comportamentos e indivíduos interagem sob o signo da acusação e da incriminação. O objetivo é levar o leitor a compreender como diferentes situações sociais de conflito podem ser socialmente definidas como resultantes ou produtoras de processos de acusação e incriminação. Nesse sentido, entre o simples ato de “dar uma desculpa” e as mudanças legais que agravam as penas no Código Penal, revela-se toda uma variedade de situações, eventos e ações que se cumprem sob a disputa de significados morais e interesses, num complexo conjunto de conflitos.

A obra ultrapassa os enquadramentos convencionais de estudos acadêmicos sobre controle social na medida em que se encontra inevitavelmente impregnada do tema das violências cotidianas de nossos dias. Os desafios analíticos, postos pela hegemonia do discurso sobre a violência urbana na mídia e na representação social, redirecionaram o foco da maioria dos trabalhos aqui reunidos. O diálogo desloca-se quase sempre do campo das ciências sociais para o campo em que se constrói o problema público da violência e da segurança dos cidadãos.

Os trabalhos encontrados nesta coletânea lidam com questões como essas, no Brasil ou na Argentina, na imprensa ou nos asilos da velhice, entre grafiteiros, jurados do Tribunal do Júri e policiais que tentam reformar a polícia. Rótulos, etiquetas, estigmas, sujeições – são variados os meios através dos quais se agravam as acusações e instituem-se novos e mais complexos conflitos, com mais graves e perigosos acusados.

Com exceção do ensaio do organizador, Michel Misse, todos os trabalhos aqui apresentados resultaram de pesquisas realizadas no Programa de Pós-Graduação em Sociologia e Antropologia da UFRJ, no âmbito do Núcleo de Estudos da Cidadania, Conflito e Violência Urbana (NECVU).

TEXTOS:

* Sobre a construção social do crime no Brasil: Esboço de uma interpretação, Michel Misse

* Uma definição sociológica do “dar uma desculpa”: Do senso comum a uma abordagem pragmática, Alexandre Werneck

* O desamparo da velhice em meio às “classes perigosas”, Carlos Eugênio Soares de Lemos

* Descrevendo e analisando o graffiti e outras modalidades de intervenção urbana: Caminhos e destinos da street art brasileira, David da Costa Aguiar de Souza

* “Para que a vida siga adiante”: Sobre impunidade, vingança e expiação da dor nos discursos jornalísticos, Bruno de Vasconcelos Cardoso

* Imprensa, protestos e violência: Uma análise de discursos, Natália Braga de Oliveira

* “Quem domina a regra do jogo”: Sobre a reforma da polícia e os registros policiais, Vivian Ferreira Paes

* As provas segundo as versões. Acusação pública ao jovem Mérico por violação à lei Argentina de entorpecentes, Brígida Renoldi

* Incriminando e sujeitando no Tribunal do Júri, Ângela Moreira-Leite

* Recrudescimento penal no Brasil: Simbolismo e punitivismo, Nalayne Mendonça Pinto

SOBRE O ORGANIZADOR:

Mestre e doutor em sociologia pelo IUPERJ e professor do PPGSA-IFCS-UFRJ.
"
Edição 1
Editora EDITORA REVAN
ISBN 9788571063808
Páginas 272

Escreva um comentário

Você deve acessar ou cadastrar-se para comentar.