Avião de papel

Avião de papel

Avião de papel

  • EditoraAPICURI
  • Modelo: 2A70242
  • Disponibilidade: Em estoque
  • R$ 29,75

    R$ 35,00
Interior de Minas Gerais. A região tem o seu próprio tempo. Rílare é a personagem-narradora que alinhava o livro, por ela passam as histórias, a vida e as paisagens. Filha de empregada doméstica, só vai saber a identidade do pai já adulta: um engenheiro alemão que trabalhou na mineradora local; seu nascimento, fruto de um namoro fortuito. A ausência do pai. Rílare, filha de mãe negra e pai branco, mestiça de raças, culturas e classes sociais, vive entre os mundos. Apadrinhada pela família para a qual a mãe trabalha, pôde frequentar um bom colégio e, depois, ingressar na faculdade de Letras. Apesar disso trabalha como faxineira. A mãe a critica, poderia conseguir um emprego melhor, mas algo a mantém presa ao outro lado, algo que faz parte dela, da sua identidade. Faxineira e estudante de Letras, Rílare ordena a casa onde trabalha, assim como as histórias que escreve. E ela escreve a história de Otávio. Otávio é um engenheiro que, após uma temporada em Londres, aceita um cargo no interior de Minas Gerais. E a mudança não é apenas geográfica. Inicia-se para Otávio uma viagem ao passado, à infância, uma viagem interior, nela ressurgem antigos traumas, impossibilidades. E ali, nessa nova/antiga vida, ele se dividirá entre algumas mulheres, entre elas, as irmãs Clara e Silvia. Até que em algum ponto as histórias de Otávio e Rílare se cruzam, se encontram e se modificam. Avião de Papel é a bela estreia de Beatriz Castanheira no romance. Com voz própria e coragem para desenvolver uma narrativa sem concessões, a autora dá o primeiro grande passo na ambígua e misteriosa trajetória que é a literatura, exercendo domínio não somente da técnica, mas também do tempo da narrativa. Como num sonho, ou numa insônia, tudo aqui se move em ritmo de sombras. -- trecho da orelha escrita por Carola Saavedra.
Características
Ano de publicação 2014
Autor BEATRIZ CASTANHEIRA
Biografia Interior de Minas Gerais. A região tem o seu próprio tempo. Rílare é a personagem-narradora que alinhava o livro, por ela passam as histórias, a vida e as paisagens. Filha de empregada doméstica, só vai saber a identidade do pai já adulta: um engenheiro alemão que trabalhou na mineradora local; seu nascimento, fruto de um namoro fortuito. A ausência do pai. Rílare, filha de mãe negra e pai branco, mestiça de raças, culturas e classes sociais, vive entre os mundos. Apadrinhada pela família para a qual a mãe trabalha, pôde frequentar um bom colégio e, depois, ingressar na faculdade de Letras. Apesar disso trabalha como faxineira. A mãe a critica, poderia conseguir um emprego melhor, mas algo a mantém presa ao outro lado, algo que faz parte dela, da sua identidade. Faxineira e estudante de Letras, Rílare ordena a casa onde trabalha, assim como as histórias que escreve. E ela escreve a história de Otávio. Otávio é um engenheiro que, após uma temporada em Londres, aceita um cargo no interior de Minas Gerais. E a mudança não é apenas geográfica. Inicia-se para Otávio uma viagem ao passado, à infância, uma viagem interior, nela ressurgem antigos traumas, impossibilidades. E ali, nessa nova/antiga vida, ele se dividirá entre algumas mulheres, entre elas, as irmãs Clara e Silvia. Até que em algum ponto as histórias de Otávio e Rílare se cruzam, se encontram e se modificam. Avião de Papel é a bela estreia de Beatriz Castanheira no romance. Com voz própria e coragem para desenvolver uma narrativa sem concessões, a autora dá o primeiro grande passo na ambígua e misteriosa trajetória que é a literatura, exercendo domínio não somente da técnica, mas também do tempo da narrativa. Como num sonho, ou numa insônia, tudo aqui se move em ritmo de sombras. -- trecho da orelha escrita por Carola Saavedra.
Edição 1
Editora APICURI
ISBN 9788583170242
Páginas 172

Escreva um comentário

Você deve acessar ou cadastrar-se para comentar.