Negro no Futebol Brasileiro, O

Negro no Futebol Brasileiro, O

Negro no Futebol Brasileiro, O

  • EditoraMAUAD X
  • Modelo: 01-0166
  • Disponibilidade: Em estoque
  • R$ 61,20

    R$ 72,00
O Negro no Futebol Brasileiro, do jornalista Mario Filho, que empresta o seu nome ao Maracanã, é uma obra clássica, conhecida por aplausos unânimes. Mesmo num tema como o abordado, que mostra o indisfarçável racismo contra o negro nos primórdios do futebol brasileiro, o autor conseguiu dar leveza e envolvência ao livro. Muito bem cuidada, com apuro nos detalhes, esta edição reconstituiu o prefácio de Gilberto Freyre à primeira edição, o texto de ɐdison Carneiro para as orelhas da segunda edição, o de João Máximo para as orelhas da terceira, além do texto da apresentação do editor para a terceira edição. A edição da Mauad Editora traz um caderno especial com a trajetória de Mario Filho, assinada pelo neto e jornalista Mario Neto, com fotos e perfis de alguns dos primeiros craques negros e mulatos do futebol brasileiro, com o texto assinado pelo historiador Gilberto Agostino. Este caderno chega ao final com a história da imagem da capa, do artista plástico Rebolo, que também foi jogador de futebol, e que mostra, pioneiramente, na arte brasileira uma cena de jogadores em campo: o negro driblando o próprio Rebolo, que se auto-retrata. O texto das orelhas é assinado pelo historiador Francisco Carlos Teixeira da Silva, professor titular da UFRJ, e o prefácio de autoria do cientista político Luis Fernandes, professor na PUC-Rio e UFF, que situa a obra de Mario Filho no mesmo plano dos grandes textos interpretativos da formação social brasileira, como Casa Grande e Senzala, de Gilberto Freyre, Raízes do Brasil, de Sérgio Buarque de Holanda, e Os Donos do Poder, de Raymundo Faoro.
Características
Ano de publicação 2010
Autor Mario Filho
Biografia O Negro no Futebol Brasileiro, do jornalista Mario Filho, que empresta o seu nome ao Maracanã, é uma obra clássica, conhecida por aplausos unânimes. Mesmo num tema como o abordado, que mostra o indisfarçável racismo contra o negro nos primórdios do futebol brasileiro, o autor conseguiu dar leveza e envolvência ao livro. Muito bem cuidada, com apuro nos detalhes, esta edição reconstituiu o prefácio de Gilberto Freyre à primeira edição, o texto de ɐdison Carneiro para as orelhas da segunda edição, o de João Máximo para as orelhas da terceira, além do texto da apresentação do editor para a terceira edição. A edição da Mauad Editora traz um caderno especial com a trajetória de Mario Filho, assinada pelo neto e jornalista Mario Neto, com fotos e perfis de alguns dos primeiros craques negros e mulatos do futebol brasileiro, com o texto assinado pelo historiador Gilberto Agostino. Este caderno chega ao final com a história da imagem da capa, do artista plástico Rebolo, que também foi jogador de futebol, e que mostra, pioneiramente, na arte brasileira uma cena de jogadores em campo: o negro driblando o próprio Rebolo, que se auto-retrata. O texto das orelhas é assinado pelo historiador Francisco Carlos Teixeira da Silva, professor titular da UFRJ, e o prefácio de autoria do cientista político Luis Fernandes, professor na PUC-Rio e UFF, que situa a obra de Mario Filho no mesmo plano dos grandes textos interpretativos da formação social brasileira, como Casa Grande e Senzala, de Gilberto Freyre, Raízes do Brasil, de Sérgio Buarque de Holanda, e Os Donos do Poder, de Raymundo Faoro.
Edição 5
Editora MAUAD X
ISBN 9788574780962
Páginas 344

Escreva um comentário

Você deve acessar ou cadastrar-se para comentar.